Categorias
Desenvolvimento Pessoal Empreendedorismo Reflexão

Meu produto e serviço sumiram no meio do coronavírus!

Impossível passar despercebido, mas acredito que o seu produto ou serviço sumiram no meio da pandemia do coronavírus. Por mais que a gente tente buscar uma normalidade, as notícias nos atropelam e o clima para fechar negócios e mover serviços acaba caindo muito. Tenho ouvido relatos desanimadores e aflitos de familiares, amigos e clientes sobre essa situação, portanto queria passar algumas ideias desse processo dolorido que estão sendo os primeiros meses de 2020.

Quem se digitalizou está na dianteira.

Temos que falar sobre esse elefante na sala. Por mais que esteja bem claro isso agora; muitas empresas, profissionais liberais e prestadores de serviços não deram o devido valor à questão digital. Muitos deixaram para depois para se reciclarem na área, os motivos podem ter sido a falta de tempo ou recursos, mas agora no momento em que o mundo inteiro está online, precisam se adaptar às ferramentas digitais e tecnologias para o seu negócio. Isso por um lado é muito bom, mas por outro, é necessária a curva de tempo de aprendizado e implementação dessas tecnologias para oferecer aos clientes a funcionalidade correta e muitos estão ainda na base de pesquisa ou desenvolvimento do que pode ser utilizado ou não em seu trabalho, nem tudo funciona e leva muito tempo para achar a tecnologia correta, então para quem já fez o dever de casa está na vantagem nessa hora. E para quem deixou passar esse tempo, infelizmente vai ter que levar o aprendizado atual e correr atrás do prejuízo.

Mas crevi, eu trabalho demais e nunca tive tempo para isso!

A coisa que mais escuto sobre digitalização de negócios é justamente a falta de tempo e a habilidade necessária em utilizar ferramentas digitais. O famoso; eu não me dou bem com a tecnologia! Mas na boa, posso ser sincero com você? Acho uma desculpa para o conformismo.

Quando a gente se refere a tecnologia muita gente já pensa em sites, aplicativos e toda sorte de aparatos de última geração, mas não é isso que eu quero dizer, a tecnologia começa com as coisas mais simples. Muita gente sequer tem cuidado com os seus e-mails e pasmem, até senhas! Qualquer empresa ou prestador de serviço hoje pode possuir uma série de e-mails de seus clientes, dos quais já fizeram negócios, mas poucos utilizam essa base para manter um contato ou fazer novos negócios, então se você ainda sequer dá valor aos seus e-mails, não será um ecommerce de última tecnologia que irá fazer você vender mais pela internet, sinto muito!

Em tempos de pandemia o seu serviço ou produto, faz o quê de bom para os outros?  

Todo mundo tem um problema ou desconforto que precisa resolver. Se o seu produto ou serviço não preenche nenhuma dessas lacunas é melhor revisar o que você está oferecendo. Ainda mais agora, onde a sobrevivência está falando mais alto, saber suprir uma necessidade não é mais um diferencial, virou regra! Agora vamos partir do fato de que você já tenha descoberto o problema que resolve para o seu cliente, como vai poder fazer isso online?

Exemplo; pense nos supermercados, agora eles entenderam a importância de utilizarem o WhatsApp para vender e entregar os produtos, mas foi preciso uma pandemia para começarem a oferecer um serviço relativamente simples, eles não precisariam inventar a roda, afinal WhatsApp e a entrega são duas coisas que eles sempre fizeram. Mas agora isso pode se tornar o carro chefe, um serviço a mais que ajuda a pagar as contas, para muita gente isso não vai ter mais volta, será preciso incorporar no DNA do produto essa técnica de digitalizar os seus produtos e serviços, mesmo que a quarentena acabe amanhã.  

Inovando a percepção do seu produto para as outras esferas.

A minha dica é a seguinte, seja útil de maneira genuína ao seu cliente. Eu sei que agora mais do que nunca você precisa vender desesperadamente, mas antes de empurrar qualquer coisa para ele, esteja aberto para entender em como seu produto pode ajudar o cliente a passar esse momento, mesmo que seja algo totalmente fora do básico da sobrevivência. 

Vamos dizer que você venda joias; um mercado complicado neste momento de quarentena, afinal quem vai querer comprar algo que não possa exibir em uma festa ou na rua? Como o seu produto pode ajudar nesse momento? Quem sabe um grupo onde seus clientes possam enviar fotos e dicas das joias que já possuem ou abrir um canal de conversação sobre esse tópico? Essas pessoas querem falar a sua vontade ou a frustração de não poderem usar as suas joias? Como você pode catalisar esse sentimento e auxiliar no seu ponto de vista como profissional, de forma genuína e não apenas para fazer vendas? Você, dono do negócio será o líder que vai ajudar a conduzir os seus clientes em tempos de incerteza ou vai se deixar levar pelo pânico e afastar mais ainda eles do seu contato digital, justo em um momento em que as pessoas estão mais online do que nunca? Faça a sua parte e conduza os seus clientes a terem uma verdadeira e boa experiência com você, além da vontade de vender ou comprar.

Use a criatividade empreendedora para oferecer de uma maneira diferente o seu serviço ou produto, agora caso ainda esteja no passo de aprendizado das tecnologias, sinto muito, você vai precisar gastar um tempo nessa fase até se familiarizar, fazendo o básico, juntando e-mails, contatos de telefone, criando grupos, pesquisando o texto do site, descrição de perfil, produtos e por aí vai, mas a última dica é: comece ou melhor; RECOMECE!        

Por André Crevi

Freelancer | Creator @dinofauro | @PetitGuazu | Designer gráfico | Social Media | Jardinagem | Consciência |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.